sábado, dezembro 30, 2006

Para 2000 e Sete

É sem sentido esta coisa de sentir.
Sensações que tenho e que sinto em mim.
Sento-me e sinto-me sozinho.
Sofrido e suado de pensar.
Porque há feridas que não saram.
Sentidos que esvoaçam.
Sons que soam sonoros no meu cérebro.
Mas em silêncio.
Se eu soubesse que sofrer seria assim.
Se eu tivesse visto.
Saio de mim por um pedaço de tempo e sem querer, sou só eu.
Sorvo as lágrimas e subo ao mais cimo dos cimos.
Sussurro só para me lembrar de não me esquecer .
Dou-te um beijo e despeço-me das sombras. Os dois somos um. É só um.
Dá-me um sorriso. Dá-me um sabor bom num beijo sôfrego. Dá-me um som de prazer. Serena, sossega. Segura em mim. Para sempre.

4 comentários:

NG disse...

A vida está cheia de imponderáveis. Uns dolorosos, outros saborosos. Mas, por muito que os imponderáveis nos batam na cara, há o poder de escolher: quando, quanto, com o quê, e, principalmente, com quem.

Desejo-te um ano de excelentes escolhas.

Um abraço

Ana disse...

Nem tudo é mau. Esperança. Bom 2007 *

menina disse...

Um bom 2007 :D *

Lígia disse...

BOM ANO! Que este seja se não mais, pelo menos tão rico em sentimentos e pensamentos como 2006. beijocas