quarta-feira, abril 19, 2006

As coisas como elas são


Muitas vezes advoguei que a desculpa do “sou assim” como argumento último de não mudar era uma desculpa falaciosa. Era – e é – só uma desculpa para não fazermos um esforço para mudar, para inverter o sentido de algumas coisas e para “deixar estar”.
A verdade é que, se há muitas coisas que podemos – com mais ou menos esforço – mudar, há outras que pura e simplesmente não podem ser alteradas. Por muito que se queira, que se deseje. Por muita força que façamos, por muito pensamento positivo ou boas vibrações que queiramos provocar, há coisas que são como são. Como a finitude da vida. É imutável, inegável e não é há volta a dar. É assim porque é assim.
Se há coisas que são como são, esta é uma delas.
______________________
Ao fim de um tempo, por muito que não se queira, começa a impregnar-se o hábito. Entra no ritual de todos os dias vê-la assim. Frágil, magra, doente. Não que pareça que sempre foi assim – porque nunca o foi – mas não custa tanto como da primeira vez.
Ao mesmo tempo – apesar de toda a consciência – começamos lentamente a pensar se algo não terá mudado? Se não haverá volta a dar? Se o fim é mesmo agora ou um bocado mais tarde? Se por um acaso clínico-químico não terá despoletado uma reacção qualquer que faça inverter e/ou estabilizar as coisas?

As coisas como elas são nem sempre são como nós queríamos que fossem. Mas é assim que elas são. É assim.

5 comentários:

Elora disse...

Eu não acredito em milagres desde que a minha avó morreu, tinha eu 16 anos. Nessa altura achei que só podia ser um engano. Não era. Na última tragédia as minhas esperanças resumiam-se a esperar que o tempo passasse devagar e a fabricar recordações.

Mamaíta disse...

Desde à dias espero ansiosamente a próxima edicao, e mais uma vez estas palavras me fazem pensar em tudo. Sei que em momentos como estes que passas, pouco há que um estranho possa dizer para dar ânimo, mas apenas posso dizer que este blog tem mexido comigo e me tem ajudado a seguir em frente e nao desistir na primeira dificuldade. Pois é esse o sentimento que deves ter para superar este momento tao doloroso.
Por mais dificil que seja guarda os momentos bons e felizes para te ajudar a superar e esquecer os dificeis.

Anónimo disse...

"Quem vê caras, não vê corações!" diferente do que eu imaginava. boa escrita. muito profundo. vou voltar, sem dúvida!

susie

Atena disse...

Hem sempre as coisas são como são ou como parecem. Muitas vezes não conseguimos dar a vlta por muitas voltas que dermos. O destino está escrito e não podemos sair na esquina antes. Força e coragem.
Atena

Luísa disse...

Às vezes as coisas acontecem para nos ensinar cosas E eu acho que nesta fase, tu, ela e a princesa estão a construir uma união imensa e indissolúvel (mais ainda).


É quando és fraco que és forte.
Pensa nisto, sim?

Um beijo. De carinho. De colo. De coragem. (Três beijos, portanto)