quarta-feira, março 29, 2006

Posso / Não Posso

Já não vamos ou ao cinema tantas vezes como antes. Já não vamos jantar fora sempre que nos apetece. Já não tiramos 2 noites para ir, simplesmente. Já não posso abrir a janela do carro numa noite como a de hoje e ir até onde a música me levar. Já não posso aceitar os convites todos para todos os jantares. Já não posso pôr a música alto quando me apetece. Já não podemos passar uma semana fora sem horários. Já não podemos ir passear à noite para a praia até que nos apeteça.
Há muita coisa que não podemos fazer, mas podemos esperar que amanhã ela acorde com aquele sorriso lindo, o cabelo à frente dos olhos e diga: Olá. Bom dia filha. Vamos acordar a mamã?

1 comentário:

Luísa disse...

Talvez já não possamos fazer mutas coisas, de facto... Mas as mais importantes, aprendemos a poder... : )

O teu post (como sempre) está recheado com uma ternura tão grande que me apetece dizer-te que é um privilégio vir aqui.
Quanto ao comentário que deixaste lá em casa... pois... nem sei o que dizer... tenho a sensação que aqueles dois anos de psicoterapia foram milagrosos... E, ou muito me engano, ou eras tu que estavas a ouvir atrás da porta nas consultas do Dr. D... : ))

Um beijo. Imenso. Da ternura que geras em mim.